Comer de forma saudável e poupar dinheiro… É possível?!

Comer de forma saudável está, com frequência, associado à ideia de que sai caro, motivo pelo qual muitas pessoas acabam por se sentir desencorajadas, quando pensam em fazer mudanças na sua alimentação e na da sua família. Desta vez, decidimos abordar este tema e, estamos convictos, porque, também nós, o procuramos fazer no nosso quotidiano, de que resposta à questão que colocamos no início é:

Sim!!! É possível comer de forma saudável e poupar dinheiro! Isto, não só a curto prazo, se fizermos um bom planeamento e gestão, mas também, a médio e longo prazo se pensarmos nos benefícios para a nossa saúde (e da nossa família) e não termos de andar a remediar situações que podiam ter sido prevenidas com hábitos alimentares e estilos de vida mais saudáveis!

 

A alimentação saudável não precisa sair mais cara!

Em seguida deixamos algumas sugestões…

  • Conheça o que tem na sua cozinha.

Saiba o que tem nos seus armários de cozinha, frigorífico e congelador. Planeie as refeições da sua semana para incluir ingredientes que já possui. Verifique as datas de validade, para se assegurar que está a consumir os alimentos dentro do prazo.

 

  • Escreva uma lista de compras.

Após elaborar o seu plano semanal de refeições e, tendo em conta o ponto anterior, escreva uma lista de compras com todos os itens que faltam.

Seja rigoroso/a e compre apenas o que realmente come.

 

  • Tente não comprar quando estiver com fome.

As pessoas que compram quando estão com fome, são propensas a gastar mais, especialmente em alimentos menos saudáveis, ricos em gordura e açucarados.

 

  • Experimente marcas mais económicas.

Nem sempre há muita diferença e pode traduzir-se numa poupança significativa. Descubra como os rótulos dos alimentos podem ajudá-lo a fazer escolhas mais saudáveis. Dê uma oportunidade e deixe o seu paladar ser o juiz, em vez da marca.

 

  • Compare alimentos pré-embalados com os que se podem comprar a granel.

As frutas e legumes, às vezes, custam mais pré-embaladas do que a granel. O mesmo se dá ao comprar carnes e peixes já preparados, cortados e embalados, ficando mais em conta pedir na secção do talho ou na peixaria o que precisa. Verifique o preço por peso (por exemplo, € / kg). Tenha ainda presente que, os alimentos pré-embalados, nem sempre são os mais frescos e pode acabar por comprar mais do que precisa. Além disso, a granel, pode obter quantidades exactas e ser menos dispendioso.

 

  • Reduzir os “luxos”.

Se o seu carrinho de compras tende a incluir bebidas com gás, refrigerantes, bolos e afins, tente reduzir esses itens não essenciais. Muitos deles são ricos em açúcar, sal e gordura, o que não ajuda ao controlo de peso. Pense em alternativas mais económicas e saudáveis, tais como frutas, sumos e iogurtes naturais, …

 

  • Cuidado com as ofertas e descontos especiais.

Descontos especiais e ofertas do tipo compre 1 leve 2, podem oferecer um bom valor, mas tenha cuidado! Compre apenas itens de que realmente precisa e que irá usar. Tenha, também, atenção aos descontos em produtos perecíveis e à data de validade.

 

  • Lojas/ supermercados online.

As diferenças de preço, por vezes, podem ser significativas. Pesquise e compare preços de supermercados que permitam selecionar uma cesta de produtos e escolha o fornecedor que possibilite uma maior poupança. Deste modo, saberá ao certo quanto gasta, o que pode tornar mais fácil ficar dentro do orçamento.

 

  • Cozinhar em casa.

Economize dinheiro evitando recorrer aos take-aways, fast food (comida pronta a comer). Preparar e cozinhar as suas próprias refeições, geralmente, sai mais barato e, é mais fácil controlar o que entra no seu prato, além do que tem uma probabilidade muito maior de pode ser mais saudável, do que comprar comida já confecionada. Se não tiver muito tempo no dia a dia, considere destinar uma parte de um dia por semana para confecionar uma boa quantidade de refeições, que depois, pode armazenar por doses em recipientes e congelar, estando prontas para consumir a qualquer momento.

 

  • Coma porções menores.

Quando cozinhar, poderá pesar ou medir as quantidades, o que ajudará a manter o controlo do tamanho da porção e reduzir o desperdício.

Ao comer, procure fazê-lo em porções menores, usando pratos mais pequenos, evitando repetir, … deste modo, talvez ainda fique com uma refeição para o almoço do dia seguinte, além de que, será mais fácil manter ou diminuir o seu peso!

 

  • Faça uso das leguminosas.

Feijão, grão, lentilhas, … secas, em vez de em lata ou frasco, … além de estarem entre os alimentos mais baratos na prateleira do supermercado, podem ser cozinhados de forma saudável, saborosa e rentável. São muito ricos nutricionalmente (em proteínas vegetais, fibras, vitaminas, minerais, …) e têm baixos níveis de gordura e calorias.

 

  • Congelar o pão excedente.

O pão é um dos alimentos mais desperdiçados. Para evitar ou reduzir este desperdício, poderá proceder ao seu congelamento em um recipiente hermético, de preferência em pequenas porções (conforme lhe for conveniente para uso) e quando estiver mais fresco.

 

  • Não desperdice comida. Planeie. Seja criativo.

Planeie as suas refeições para que todos os ingredientes da sua lista sejam usados.

Descubra como usar as sobras com segurança, poderá congelá-las e/ou recorrer à sua criatividade, para as utilizar na preparação de refeições. As frutas e verduras mais ‘feias’ /maduras podem ser usadas em sopas, batidos, papas e até mesmo massas de bolo.

 

  • Procure receitas económicas.

Barato de modo algum tem de significar menos saboroso!! Há uma abundância de sites com ideias de receitas saudáveis, económicas e deliciosas!

 

Alimente-se de forma saudável e… reduza o peso… também, na sua carteira 😊!