Como é a sua relação com a comida?

Antes de mais…

 

O que é uma relação com a comida?

 

O dicionário define o termo ‘relacionamento’ como ‘a maneira pela qual duas ou mais pessoas ou coisas estão conectadas’.

 

Quando proporcionamos ao nosso corpo alimentos nutritivos e bons, o nosso corpo agradece de volta. Está tudo conectado!

 

Pense no seguinte: Gostaria de convidar uma pessoa com quem não se dá bem ou com quem não se sente bem, para ir a sua casa?

 

A nossa relação com a comida, os alimentos que ingerimos, bem como a forma como nos sentimos sobre eles, afectam muitos aspectos da nossa vida, incluindo o nosso humor e bem-estar, além de que têm o potencial de prevenir inúmeras doenças, onde se inclui a obesidade. Os alimentos que consumimos, precisam de ser benéficos e enriquecedores para o nosso corpo. 

 

Que alimentos convida a entrar em sua casa? Ou melhor, que alimentos recebe dentro do seu corpo? Como olha para a comida? Que sentimentos tem sobre os alimentos e o que ingere?

 

Sugestão: pegue numa caneta e num papel e tome nota das primeiras 10 palavras que lhe vêm à cabeça quando pensa: 

 

  1. Em um alimento que considera saudável ou bom;
  2. Em um alimento que considera pouco saudável.

 

De que se apercebeu? 

 

A linguagem que utilizamos em torno da comida poderá surpreendemos e dar-nos pistas relativamente à intensidade dos nossos sentimentos, bem como de alguns conflitos internos relativamente a este tema.

 

Estarmos conscientes dos pensamentos e sentimentos que existem na nossa mente, proporciona-nos a possibilidade de escolher entre dar continuidade aos comentários ou conflitos internos habituais, relacionados com a comida, se mantivermos uma atitude de crítica e julgamento ou parar e observar esses pensamentos e sentimentos sobre uma nova perspectiva e responder a partir de uma posição de calma, fazendo escolhas ponderadas no aqui e agora.

 

Importa ter presente que, em muitos aspectos a nossa relação com a comida é diferente de qualquer outra relação, pois não podemos acabar com este tipo de relacionamento, não há como fugir de nós próprios/as ou da comida!

De modo que, para nosso bem, precisamos de encontrar formas de ter uma relação saudável com a comida e aprender a lidar construtivamente com as pressões, internas e externas, que possam existir. Usar a comida como uma maneira de controlar o que está a acontecer dentro de nós, dando ao nosso corpo quantidades excessivas de alimentos desadequados, coloca uma pressão insalubre neste relacionamento e como tal, não contribui para que este seja saudável.  

 

Escutar as necessidades do nosso corpo, em vez de simplesmente reagirmos a emoções passageiras, é a base para qualquer mudança sustentável dos nossos hábitos alimentares e está no âmago da alimentação consciente. Procure usufruir da experiência “comer”, sem estar a fazer outras actividades em simultâneo, que o/a distraiam desse momento.

 

Os relacionamentos só funcionam no seu potencial máximo quando ambos os lados cooperam. Ter uma relação saudável com a comida, significa fazer esforços conscientes para colocar alimentos saudáveis ​​e nutritivos no nosso corpo. Por isso, a recomendação é que leve algum tempo para considerar os tipos de alimentos que escolhe.

 

Concentre-se em construir e fortalecer a sua relação com a comida e o seu corpo agradecerá por isso. Aliás, as nossas escolhas alimentares e o relacionamento que estabelecemos serão sentidos no corpo, na mente e nas emoções. 

 

Não seja persuadido por soluções milagrosas para perder peso, porque um bom relacionamento com a comida leva tempo e perseverança, não é uma solução rápida e faz parte de um estilo de vida saudável. 

 

A nossa relação com a comida pode desenvolver-se da mesma forma que a nossa relação com as pessoas e dependerá do quanto investimos nelas! Desejamos que decida fazer um investimento de valor!