Como funciona o nosso organismo no Exercício Físico

Uma prática de exercício físico regular e consistente apresenta sempre um consumo de energia associado. Quando falamos de energia, falamos invariavelmente de uma molécula que se designa por ATP (Trifosfato de Adenosina). Esta molécula é indispensável à vida celular, e de acordo com a intensidade e duração do exercício pode ser necessário mais ou menos ATP.
É este ATP que assegura todos os processos fisiológicos que ocorrem no nosso organismo. Todos os processos de movimento inerentes ao sistema músculo-esquelético são fundamentais para a renovação constante de ATP que é utilizada para a contração muscular.

O fornecimento de energia a partir do ATP principalmente em esforços de longa duração, é realizado a partir dos ácidos gordos (AG) armazenados na forma de triglicerídos (TG), mais utilizados como substratos energéticos.
Os triglicéridos que podemos encontrar na massa gorda, no sistema músculo-esquelético e no plasma, armazenam cerca de 60 vezes mais energia do que o glicogénio, o que permite em termos de movimento a manutenção de exercício físico de longa duração. Quando praticamos exercício físico conseguimos regular o metabolismo através da libertação de algumas hormonas, tais como, adrenalina, insulina, glucagon, cortisol e hormona do crescimento.


Ao contrário do que se possa pensar, exercícios localizados podem não queimar gordura localizada. Isto ocorre porque a ação hormonal é sistêmica, fazendo com que a quebra de triglicérides aconteça em todo o organismo. Os ácidos gordos provenientes da quebra desses triglicéridos são libertados na corrente sanguínea e gastos no exercício físico. Conseguimos aumentar a atividade de gasto dos componentes do tecido adiposo com o exercício físico, e isto sim, está bem estudado e documentado, porque o treino bem prescrito e organizado tem um aumento significativo da atividade da mitocôndria.

Que são as mitocôndrias? … As mitocôndrias são organelas localizadas dentro das células e cuja função mais importante é produzir energia. Eles são as nossas centrais energéticas. É onde a energia necessária para a atividade celular é produzida, sintetizando  uma molécula, ATP , a partir de glicose, ácidos gordos e aminoácidos e na presença de oxigênio. Sem essa energia, ou nosso organismo ficaria em falência. O ciclo é assim:

    Respiramos oxigênio que passa dos pulmões para o sangue e desde aquí é introduzido nas células. Já no interior das células, chega até as mitocôndrias.

   Por outro lado, nós comemos alimentos que contêm nutrientes (hidratos de carbono, gorduras, proteínas …) que, depois de absorvidos pelos intestinos, vão para o sangue, onde também há hormonas, por exemplo, insulina, que os introduzem nas células. Uma vez que todos eles estão dentro das células, as mitocôndrias produzem as moléculas de energia de ATP, das quais dependem os nossos movimentos. Uma máquina surpreendente e maravilhosa, não é?

Na procura de resultados milagrosos existe uma tentação de percorrer o caminho mais fácil para fins estéticos e perda de peso, como tal recorre se muitas vezes a suplementos alimentares, sem qualquer tipo de prescrição médica.
O uso inadequado destes suplementos pode gerar sobrecarga a nível metabólico e afetar órgãos vitais tais como rins e fígado.
Como já percebemos o processo orgânico de gasto de massa gorda é muito complexo e deve ser respeitado e devidamente acompanhado. A procura de profissionais acreditados é a solução mais adequada para atingir o objetivo de perda de peso, de forma segura e consistente.

Até ao próximo!