Conheça as alterações posturais causadas pelo peso excessivo. Saiba como atuar para minimizar os efeitos.

A Postura pode ser definida como a posição do corpo no espaço. Mais concretamente a postura que adota tem a ver com a posição global das diferentes articulações do corpo num determinado momento.

A atitude postural de determinado indivíduo depende de fatores internos e externos. Internamente a postura depende da integridade e interação corporal do sistema nervoso, músculos, tendões, ossos, ligamentos e articulações. Externamente poderão existir fatores múltiplos de condicionamento do meio ou comportamentais que conduzem atitudes posturais diferenciadas.

O excesso de peso tem a sua contribuição para modificações na postura corporal.

Parece claro que o peso excessivo resulta num stress adicional, gerando tensões nas estruturas músculo esqueléticas conduzindo-as a uma instabilidade e a um desgaste extra.

Com o aumento de peso aumenta a tendência postural para:

–  Deslocamento anterior do centro de gravidade (abdómen Protuso)
–  Aumento da curvatura da coluna lombar (hiperlordose lombar)
–  Inclinação anterior da zona pélvica
–  Rotações internas dos quadris
–  Joelho valgo
–  Pé plano

Estas adaptações resultam em processos modificativos da estrutura do corpo, propiciando alongamentos e encurtamentos excessivos na sua mecânica e levando ao aparecimento de dor e patologias associadas tais como:

– Osteoartroses na anca, joelhos e coluna
– Hérnias discais

Como evitar, lidar ou reverter o processo de alteração de postura?

Apesar de não ser uma solução isolada e tendo de integrar o auxilio de várias áreas como a medicina, nutrição, fisioterapia e exercício existe um ramo comum que passa pela redução de peso e com isto retirar a sobrecarga ponderal existente no corpo que está com peso excessivo.

Efetivamente no que diz respeito à área de intervenção do exercício podem ser tomadas algumas medidas de ação e prevenção.

1 – Caso ainda não pratique exercício inicie a prática desportiva sabendo que: 

É importante uma prática de exercício regular, na maior parte dos dias da semana, no mínimo de 30 minutos de atividade física continua.

Adoptar exercícios de intensidade leve a moderada e de baixo impacto ao nível do movimento realizado, visto que não é pretendido ao excesso de peso existente ainda somar mais stress articular. Sugerimos formas de exercitação tais como o uso de: bicicleta, elíptica, remo, máquina de subir degraus, treino de força, caminhar, natação, hidroginástica.

 2 – Reforço muscular geral e específico:

Quanto maior for o reforço muscular, maior a proteção das articulações e estruturas ósseas envolvidas e menor será o stress articular. O reforço de zonas específicas poderá ser crucial, como por exemplo o reforço da musculatura do “Core”. A musculatura do “Core”refere-se a musculatura abdominal:Os músculos abdominais nos ajudam a respirar adequadamente, proteger nossos órgãos internos e servir como suporte postural. … A função mais importante desse grupo de músculos é dar estabilidade ao corpo para qualquer tipo de movimento que realizamos.Esta musculatura é responsável pela manutenção da estabilidade e postura corporal e favorece a transmissão de força pelo corpo. Portanto, potenciar a musculatura do “Core” é um passo importante para uma postura mais correta e alinhada. Algum reforço muscular específico é ainda recomendado ao nível dos membros inferiores no caso dos joelhos orientados para dentro (joelho valgo) deverão ser reforçados os músculos abdutores da coxa e os rotadores externos da anca (glúteo máximo e médio), bem como alongados os adutores da coxa.

3 – Uso de Calçado e palmilhas apropriados:

Compreendendo que os pés são as zonas primárias de contato com o chão e por este motivo têm uma representação significativa na absorção e transmissão de energia mecânica , recomenda-se que quer no caso do joelho valgo quer no caso do pé plano, sejam utilizadas  palmilhas ou calçado reforçado internamente para que sejam diminuídos os efeitos da pronação (pés e tornozelos para dentro) promovendo a supinação para um estado mais neutro do joelho.

Lembre-se que os aspetos citados anteriormente estão direcionados para o âmbito do exercício, sobre os quais apresentamos algumas alternativas para ter em consideração e pôr em prática na sua atividade física diária. Como vimos existem muitas outras áreas que possibilitam uma ajuda crucial para lidar com a sua postura. Abordar a problemática de uma maneira multidisciplinar e procurar ajuda dos diferentes profissionais será sempre a alternativa mais completa no sentido de otimizar a sua saúde e o seu bem estar.

Não esqueça……A Saúde é Atitude!