Dieta Mediterrânica versus Obesidade-Colesterol

Sabemos que uma das complicações mais perigosas associadas à obesidade é o aumento do colesterol no sangue.

Consideram-se prejudiciais valores no sangue superiores a 200 mg/dl.

Primeiro vamos conhecer ao nosso protagonista: O Colesterol.

O colesterol é uma gordura muito necessária para um ótimo funcionamento do nosso organismo. Assim, é fundamental para a produção de vitamina D, necessária para a  absorção intestinal de cálcio. Também intervém na regulação do humor, de ácidos biliares, que auxiliam a digestão, e na produção de diversas hormonas sexuais e cortisol. Mas também tem uma importante função estrutural, já que faz parte das membranas ( paredes) de todas as nossas células. O colesterol é produzido pelo nosso organismo, no fígado, mas também deve ser obtido através da alimentação, numa dose máxima de 300 mg/dia.

Tal como acontece com o resto das gorduras, o colesterol não se dilui na água. Por tanto, o seu transporte no organismo depende dumas  moléculas chamadas lipoproteínas, que transportam o colesterol pelo sangue.

Diferentes tipos de lipoproteínas têm diferentes efeitos na saúde. Por exemplo, os níveis elevados de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) produzem depósitos de colesterol nas paredes dos vasos sanguíneos, o que pode provocar obstruções das artérias, acidentes cerebrovasculares, ataques cardíacos e insuficiência renal.

Ao contrário, a lipoproteína de alta densidade (HDL) ajuda a transportar o colesterol das paredes dos vasos e ajuda a prevenir aquelas doenças.

Por outro lado, conhecemos a importância que tem os ácidos ômega 3 no controlo e  eliminação do excesso de colesterol. O consumo diário de ômega 3 contribui a manter na sangue os níveis normais de colesterol. Estes são denominados ácidos gordos essenciais, indispensáveis para o nosso corpo, mas que não são produzidos no nosso organismo o que significa que têm que ser assimilados com a alimentação.

Quanto ômega 3 precisamos diariamente: vai depender de vários factores: idade, doenças associadas, gravidez… mas podemos dizer que entre 1 e 3 gramas diárias é a quantidade adequada para um adulto saudável .

Sabemos também que a Dieta Mediterrânica é saudável, equilibrada e provavelmente a melhor do mundo para desenvolver um programa nutricional que contribua para a perda de peso e redução dos fatores de risco cardiovascular associados, como são os valores elevados de colesterol e outras alterações do perfil lipídico no sangue. 

A Dieta Mediterrânica, baseada no consumo de vegetais, cereais, peixe, carnes brancas, frutas, frutos secos, pode reduzir o risco cardiovascular em 30%, assim como também colaborar na perda de peso.

Devemos priorizar o consumo de gorduras poli-insaturadas, como peixes (ricos em ômega-3), aves (peru e frango) e coelho, alho, sementes e nozes. Além disso, há que incrementar o consumo de frutas e hortícolas e escolher o azeite virgem extra como a principal gordura da nossa alimentação.

Saiba que alimentos devem estar totalmente excluídos na nutrição de uma pessoa com problemas de colesterol elevado:

carnes vermelhas, mariscos, enchidos e lácticos inteiros;

produtos ultraprocessados e pré-cozinhados,

bolos e pastéis, açúcares e farinhas brancas.  

bebidas refrigerantes e álcool .

Aqui têm mais uma informação para vos ajudar a resolver o  problema de saúde que relaciona Obesidade e Colesterol elevado ( importante factor de risco cardiovascular).

O resto depende da sua atitude !