O Processo de Mudança na Perda de Peso: Olhando para O Futuro

No que se refere a perder peso e o que isso envolve, muitas vezes ouvimos falar sobre a “Vontade de Mudar”, como sendo um requisito base. Mas será o suficiente para mudar? O que significa disposição para mudar?

 

Ao longo da vida são inúmeras as situações que, quer seja por influência de factores externos ou internos, nos levam a modificar comportamentos ou planos.

 

Relativamente à mudança, podemos considerar duas tendências diferentes:

 

      1. Tendência para um estado estacionário: não esperamos que nada mude ou que algo de diferente aconteça ao longo do tempo e, como tal, não estamos preparados para contribuir para a mudança.

 

      2. Tendência para a transformação: estamos preparados para a mudança e procuramos contribuir activamente para que a mesma aconteça! Deste modo, seremos mais capazes de nos adaptarmos, embora, isso não implique que seja mais fácil ou que lidemos melhor com a situação, dado que, dependerá de fatores intrínsecos que podem estar sob o nosso controlo e extrínsecos, que não podemos controlar. Além disso, esta tendência, também pode variar ao longo do tempo e consoante as situações. 

 

A capacidade que cada um tem para se adaptar às mudanças, dependerá da sua maior tendência para a transformação e da atitude com que enfrentamos essa mudança. 

 

Quando falamos em disposição para mudar, falamos em definir o quanto estamos preparados e dispostos para dar o passo em direção à transformação ou mudança. 

 

Neste sentido, e em relação à atitude, será imprescindível que seja realista e construtiva. Entendendo-se como realista e construtiva, a forma de aceitar, tanto aquelas coisas que nos levaram a tomar a decisão de modificar algo, como as acções que devem ser realizadas para dar o salto.

 

Essa aceitação implica que esteja muito claro que teremos de deixar certas coisas para avançar (ex. pensamentos, comportamentos ou hábitos) e que o progresso, também, significa ganhar outras coisas que não tínhamos anteriormente.

Por exemplo, fazer mudanças na direcção de um comportamento alimentar mais saudável que contribuam para uma redução do peso em excesso, envolvem, por um lado, rever e deixar certos conceitos para trás e/ou modificar escolhas que fazemos, mas por outro lado, abre-nos a possibilidades de descobrir e apreciar novos alimentos e sabores que não conhecíamos, voltar a vestir roupas de que gostamos e que não usávamos há muito tempo, …

 

O quanto está disposto/a a mudar aquilo de que não gosta ou que está a ter consequências negativas para si?

 

Como saber se está na hora de dar um passo em direção à mudança?

 

Sugestão de atividade:

 

O que implica eu deixar/ custos? O que me trás de benefícios? O que me impede? O que me permite?
Dar o passo:
Ficar onde estou:

 

Note que, ao preencher os espaços acima, poderá haver coisas positivas e negativas em qualquer um deles. Tente ser o mais honesto/a possível consigo mesmo/a, dado que isso o/a ajudará a decidir com maior conhecimento de causa, avaliando os prós e os contras de cada caso.

 

É possível que pense que existem algumas coisas contraditórias e é natural que tal aconteça em qualquer processo de mudança, na medida em que implica deixar coisas para trás, mesmo que gostemos delas e aceitar outras que, de momento, podem não ser do nosso maior agrado, por não estarmos habituados/as. 

 

Entretanto e voltando à tabela acima, seria muito útil se pudesse avaliar a importância que tem para si, cada um dos factores que identificou. Para tal, pode atribuir um número de 1 (menos importante) a 10 (mais importante). 

 

Com estas informações, poderá analisar e avaliar qual é a sua disposição para uma mudança real: se está disposto/a a deixar para trás o que a mudança implica ou se, em vez disso, prefere ficar como está porque, neste momento e de acordo com o balanço que faz, não lhe compensa.

Em todo caso, é bom ter em mente que a decisão está a ser tomada hoje, nas circunstâncias atuais e com as emoções e pensamentos que tem no momento presente, pelo que não tem de o/a vincular para sempre! Poderá vir a mudar, posteriormente, os factores que identificou, bem como a sua decisão final.

 

Dar este primeiro passo, de querer mudar algo, é fundamental! No entanto, a tarefa não termina aqui! É importante saber como funciona qualquer processo de mudança de hábitos, dado que implica novas aprendizagens. Falaremos deste tema, no próximo post. Até lá!