Perder Peso: Como a Terapia Cognitivo-Comportamental pode ajudar?

Olá! Em post anterior, fizémos referência à Terapia Cognitivo-Comportamental e, com recurso a alguns exemplos, procurámos demonstrar que, por um lado, existem pensamentos “sabotadores” ou que procuram “boicotar” a sua determinação e, por outro, pensamentos funcionais ou construtivos que o/a ajudam a manter-se no “trilho certo” de forma a alcançar os seus objectivos.

Assim, dando seguimento ao referido, a Terapia Cognitivo-Comportamental, visa ajudá-lo/a a identificar a primeira categoria de pensamentos (negativos), os quais o/a influenciam a agir de maneira disfuncional, incentivando-o/a a comer, dando-lhe “permissão” ou autorizando a racionalizar aquilo que come e a responder-lhes com pensamentos funcionais (positivos ), que o/a conduzem a agir de forma mais produtiva e a sentir-se melhor consigo. Trata-se de uma abordagem terapêutica que tem por alvo ajudá-lo/a a resolver problemas práticos e psicológicos, bem como a aprender a desenvolver pensamentos mais adaptativos e novas competências comportamentais, “ferramentas” que poderá utilizar pelo resto da sua vida.

Inúmeros estudos têm comprovado a eficácia da Terapia Cognitivo-Comportamental no que se refere a perder e a manter o peso conquistado, bem como para muitos distúrbios de saúde, saúde mental e problemas psicológicos.

Com a Terapia Cognitivo-Comportamental, pode aprender a:

  • Pensar de forma diferente, enfrentar desafios comuns e pensamentos “sabotadores”;
  • Comer alimentos de que gosta, sem se privar, mas de forma equilibrada, enquanto perde peso;
  • Sentir que tem controle nas situações mais desafiadoras;
  • Sentir confiança na sua capacidade de seguir uma dieta saudável e um plano de exercícios;
  • Permanecer motivado/a para manter a perda de peso para toda a vida.

Fica a sugestão:

Da próxima vez que se sentir tentado/a a desviar-se do compromisso consigo mesmo/a…

Pare um pouco e pergunte-se (e se possível escreva!):

“O que estou a dizer para mim mesmo/a neste momento?” ,

Com tempo e treino, talvez se venha a surpreender com tais descobertas e como estas influenciam o seu comportamento alimentar!