Procura reconforto na comida? Estratégias para ajudar a superar a fome emocional…(Parte 1)

Olá! Conforme prometido, desta vez vamos apresentar duas estratégias para ajudar a superar a fome emocional, integrando o que já vimos até aqui!

# 1 – Identificar os estímulos que o/a levam a procurar reconforto na comida

Já sabemos que… Comer começa com um estímulo! Os pensamentos “sabotadores”, surgem quando recebe um estímulo, uma situação que estimula o seu pensamento! Assim, o primeiro passo é identificar os estímulos pessoais que o/a levam a comer.

Que situações, lugares ou sentimentos o/a levam a procurar reconforto na comida?
Conforme já mencionámos anteriormente, tanto sentimentos negativos, como positivos, podem ser associados aos alimentos.
Relembremos algumas causas de fome psicológica: stress, sentimentos negativos (culpa, frustração, raiva, medo, tristeza, ansiedade, solidão, vergonha,…), vazio emocional ou tédio, tentar evitar alguma coisa que não quer fazer, hábitos adquiridos na infância (por exemplo, os pais darem um gelado para recompensar um bom desempenho na escola), influências sociais (sair para beber com amigos e acabar por perder o controle; amigos ou familiares que o/a incentivam a comer ou não respeitam sua dieta).

Uma boa forma de idenficar estes estímulos e padrões é por fazer um diário alimentar e comportamental.
Neste diário, pretende-se que registe tudo o que come, onde e qual a situação específica em que se encontrava, bem como os sentimentos que tinha naquele momento.

Qual o objectivo? Ao examinar posteriormente os registos que realizou, será possível identificar padrões, isto é, o que está por detrás e conduz aos episódios de fome emocional. Esta consciencialização é um passo essencial para aprender a controlar o comportamento alimentar… de modo a que deixe de ser “automático”!

# 2 – Encontrar outras formas de gerir os seus sentimentos

Para conseguir controlar os seus hábitos alimentares de modo duradouro, é preciso aprender a controlar as suas emoções de uma forma que não envolva comida. Tenha presente que o problema não é a comida, mas a relação que estabelece com os alimentos e a função que têm para si, pois ainda que o recurso aos alimentos possa ser uma distracção eficaz, ainda assim, é temporaria e comer não resolve os problemas que originaram as suas preocupações. Por este motivo, além dos aspectos lógicos, precisamos ter em conta os aspectos emocionais, dada a tendência para recorrer à comida como fonte de conforto.

Alternativas para ajudar a lidar com as suas emoções… seguem-se algumas ideias:
–  Se estiver deprimido/a ou sozinho/a: telefone para alguém com quem se sinta bem e o/a ajude a sentir-se melhor, se tiver um animal de estimação, brinque com ele/a ou reveja algum álbum com fotografias que o/a relembrem de bons momentos.
–  Se estiver ansioso/a: gaste essa energia, fazendo algum exercício tal como caminhar ou dançar a sua música preferida…
–  Se estiver exausto/a: tome uma chávena de chá quente, um banho, acenda algumas velas aromatizadas ou enrole-se num cobertor confortável e macio.
–  Se estiver entediado/a: leia um bom livro, veja um filme cómico ou saia de casa, vá assistir a um espectáculo de comédia, explore a sua cidade, há sempre pontos desconhecidos que valem a pena serem visitados, realize alguma atividade de que goste e na qual sinta prazer e satisfação.

Como podemos constatar, existem diversas formas saudáveis de lidar com as suas emoções e sentimentos, sendo por isso possível fazer uma mudança positiva na sua vida.

Estas são apenas algumas sugestões!

  •  Descubra outras atividades que lhe dêem prazer e satisfação além da comida
  •  Acima de tudo, procure perceber o que funciona para si!
  •  Escreva e acrescente no seu caderno as ideias alternativas… deste modo poderá tê-las à mão     sempre que precisar!                                                                                                                                                          Por agora, vamos deixa-lo/a reflectir e dar-lhe tempo para por em prática as estratégias referidas. Continuaremos com mais, no próximo post! Não perca!