Regule a temperatura a seu favor

Vivemos num mundo altamente padronizado e regulado onde dispomos de todos os confortos e comodidades de aquecimento e climatização dos espaços, casas e transportes que utilizamos na vida diária. Porém faz sentido refletir se na biologia adaptativa do Homem ao seu meio o excesso de conforto ao nível da temperatura é proveitoso ou apenas prazeroso.

Frequentemente e culturalmente são mencionados os efeitos negativos da exposição corporal ao frio, nomeadamente as constipações, o favorecimento de atividades virais (vírus respiratórios), agravamentos de sintomatologias de doenças já existentes (cardiovasculares, musculares e respiratórias).

Todos conhecemos as famosas advertências do: 

“Cuidado com o frio… agasalha-te!”   

Efetivamente são avisos úteis e capazes de nos proteger de algumas situações complicadas que mencionamos anteriormente, contudo é necessário compreender o frio e as suas potencialidades. A capacidade de encarar a exposição ao frio como um fator positivo vem efetivamente da compreensão do que este poderá trazer ao funcionamento do nosso corpo.

 

Cientistas evidenciam que a exposição do corpo ao frio acelera o metabolismo, reduz inflamações e dores musculares, aumenta a energia corporal e melhora a função imunológica. 

 

A resposta fisiológica do corpo ao frio passa, entre outros fatores por tremores involuntários, que por sua vez à semelhança de uma atividade física/exercício permitem a ativação muscular levando a um maior gasto calórico e a um  aumento da temperatura corporal. 

 

Ao nível metabólico é sabido que existe 2 tipos de gordura:

  • Gordura “branca” que acumula energia extra e quando existente em demasia provoca a obesidade e o risco aumentado para o aparecimento da Diabetes tipo 2 e outras doenças associadas;

 

  • Gordura “castanha” que, em contraste com a anterior, queima energia química para gerar calor e ajuda a regular a temperatura corporal.

 

Investigações realizadas apontam que as células de gordura “branca” em resposta ao frio podem assumir as características das células de gordura “castanha” , estas células são ativadas quando a exposição ao frio e contribuem para a produção de calor  corporal.

 

Os estudos sugerem que uma exposição diária de pelo menos 2 horas a temperaturas próximas dos 19 oC pode ser suficiente para tornar as células de gordura “castanha” recrutáveis.

 

Veja-se:

 

https://www.nih.gov/news-events/nih-research-matters/cool-temperature-alters-human-fat-metabolism

 

https://www.nih.gov/news-events/nih-research-matters/shivering-triggers-brown-fat-produce-heat-burn-calories

 

https://www.nih.gov/news-events/nih-research-matters/way-burn-more-calories

 

Como usar o Frio?

 

O frio não é de todo uma experiência confortável e por isso tende a ser evitada. Contudo para podermos retirar frutos desta exposição deveremos considerar sair gradualmente da nossa zona de conforto e aceitar de forma progressiva e controlada a descida de temperatura, chamamos a este conceito o “Treino do Frio” ou da tolerância ao mesmo.

 

Segundo o método de Wim Hof  “Terapia do Frio” a estimulação através do frio pode ser atingida no simples ato de tomar um duche frio em casa, praticar alguns exercícios de controlo respiratório e integrar algum trabalho meditativo para melhor poder preparar o mind-set.

 

https://www.wimhofmethod.com

 

No “Treino do Frio” estamos a falar (como em qualquer outro processo de treino) de  implicações e adaptações fisiológicas, portanto caso se queira iniciar lembre-se que deve começar sempre do menor tempo de exposição para um maior tempo de exposição ao frio, de uma temperatura mais quente para uma temperatura menos quente, de uma menor área de exposição para uma maior área de exposição ao frio.

Lembre-se ainda, que existem alguns benefícios da exposição ao frio como: aumento da energia corporal, aumento do metabolismo, melhoria do funcionamento do sistema imunitário, melhoria do sono, melhoria da concentração, porém podem existir alguns efeitos adversos como a hipotermia e ou lesões derivadas do frio.

Por tudo isto: pratique com moderação, não caia em exageros mas saia da sua zona de conforto.